domingo, 10 de agosto de 2014

Doze Horas

Feito foto em preto e branco,
nanquim ou natureza morta,
ela fitava o nada.
Na velha mesa, escorada.
E em pensamentos confusos
o amor batia-lhe á porta.

Depois dava doze horas
no relógio de parede.
Vivia de tantos "talvez"
que esquecia-se dos "agoras"

Os anos que já se foram,
lá se foram com seus planos
de ter luxúria e gozar;

Restaram-lhe os desenganos,
algumas jóias, um gato
e a parede a lhe fitar!

2 comentários:

  1. Muito bom texto ...

    paz e amor
    1ManVieww

    ResponderExcluir
  2. Hmm, eu concordo ... :)

    Imagens muito eróticas ....

    paz e amor
    1ManView

    ResponderExcluir