domingo, 25 de setembro de 2011

Voyeur









Eu quero que tu delires.
Que solte as ancas decidida,
me olhes nos olhos, safada.
Implorando a minha lambida.

Tu vais ter teus troféus.
E exibir-te em mil nuanças,
despir-se de antigos véus.
sorvendo de várias lanças.

Gemer, gozar e gemer.
Pedir aplausos briosa
Gozar, gemer e gozar.
Como sempre tão gulosa.

Vais me fitar tresloucada,
buscando consentimentos,
entre uma e outra estocada.
vencendo velhos tormentos.

E eu, expectardor e fã
incentivo-te do camarim.
Desperto-te novos limites
e que nunca haja fim!

7 comentários:

  1. Hummm.. que delícia... muito sensual...



    beijos


    Cris e Junior
    http://desejosefantasiasdecasal.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa que delícia!
    Deu uma inspiração...rsrs

    Mummmm

    ResponderExcluir
  3. Deliciosa e tesuda poesia.
    "Que nunca haja fim"
    Beijos e abraços

    Rا@V£RMËLH@

    ResponderExcluir
  4. Limites foram feitos para serem superados...
    Não concordas, In_?

    Beijo, guri insano, e um domingo delicioso...

    ResponderExcluir
  5. Nossa...vc sempre me deixando cheia de boas idéias...rsrsrs...
    Que delícia poder vir aqui com tempo e ler seus escritos gaúcho...eu viajo com eles...direto para o mundo do prazer...
    Uma semana maravilhosa para ti...repleta de momentos deliciosos...bjs dessa loira que ti adora...

    ResponderExcluir
  6. Eu acho incrível como vc sempre combina perfeitamente as suas maravilhosas palavras com as imagens... Adorei, mais uma vez!
    beijos da Borboletinha

    ResponderExcluir