sexta-feira, 30 de novembro de 2012

João e a Casada


Rotina de vinte e tantos anos.
Na vida e na lida, cabisbaixa vai;
Não fala um ai.
Cabisbaixa vem.
Não exclama um "poxa".
Não deseja ninguém.
Nem mesmo o porteiro João
que lhe espia as coxas
e suspira em vão.

Se o marido a trai:
Ela não diz um "ai";
Se o marido bebe:
Mesmo assim o recebe.
Se o marido bate:
Óculos escuros de arremate.
Se o marido nem vem:
Ela não deseja ninguém.

Não desiste João,
a moça é honesta.
Tem um bom coração.

Fala com ela porteiro,
você que tanto a deseja.
E você é solteiro.

Mostra que você a quer,
pois tirando a  tristeza
Surge uma linda mulher!

2 comentários:

  1. Lindo esse conto-poema, e a imagem me fez pensar em nós!!! Bjo gostoso da sua Ana

    ResponderExcluir