domingo, 2 de setembro de 2012

DIA DE PRAZER




Livre, lépida e faceira
qual bilboquê de criança
foi que despencou certeira
sobre a pulsante lança.

E foi em devasso torpor
que arqueou-se lancinante
a provocar com vigor
outra lança luxuriante.

Em seu corpo, dois sabores
a preencher seus desejos,
fantasias, multicores,...

Entre carícias e beijos,
foi ao céu, sentiu tremores.
Sucumbiu-se em mil lampejos!

Um comentário:

  1. Que delicia de ver essas imagens e um texto bem sensual..Adorei

    ResponderExcluir