quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Profano





Meu amor é urgente e breve.
É raro,
feito floco de neve.

Meu desejo é latente,
profano,
multifacetado,
indecente;

E o prazer deve ser lascivo,
insano,
pervertido,
criativo,...

Pode ter cúmplice e testemunhas
mas sem medidas,
sem regras.
Nem despedidas!


O teu como é?

2 comentários:

  1. Sabe quando Fagner lançou Borbulhas de Amor ouvia sem parar, cantarolava pela casa, era pura poesia...
    Então o meu amor é como essa música, mergulhada em poesia, em volúpia, em cumplicidades, urgente e profano porém não menos intenso que outro, não menos verdadeiro...meu amor pulsa e vibra para saciar-me em loucuras minhas..nossas...é quente...o meu amor apenas se faz presente.

    Beijos meu lobo!

    ResponderExcluir